NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 14 de junho de 2021

As medidas começam a valer a partir desta quarta, 02/06 – Foto reprodução

 

 

Com alta no número de casos de Covid e a sobrecarga do Hospital Manoel Gonçalves, Itaúna publicou na tarde desta terça-feira 01/06, um decreto com algumas restrições a bares, supermercados e eventos. Segundo a prefeitura o supermercado que vai determinar que dia será CPF com final de número par ou impar. Também fica proibido o consumo de bebidas alcoólicas em locais públicos e estabelecimentos comerciais independente do horário.

 

  •  funcionamento de estabelecimentos até às 22h30, exceto de atividades relacionadas à saúde, segurança, assistência e indústrias em geral

 

  •  consumo de bebidas alcoólicas em locais públicos e em bares, restaurantes e lanchonetes, independentemente do horário será proibido

 

  • eventos de qualquer espécie em estabelecimentos comerciais, incluindo residências, bares e chácaras estão vetados

 

  •  prática de esportes coletivos não profissionais estão interrompidos (partidas de futebol e outras modalidades)

 

  • a ida aos supermercados será controlada por meio do número final do CPF do consumidor, sendo pares e ímpares em dias alternados

 

As medidas começam a valer a partir desta quarta, 02/06, e o descumprimento acarretará em notificações, multas e suspensão/cassação de alvará de funcionamento.

 

Leia na íntegra:

 

DECRETO 1851

 

Neider comentou que atingimos uma situação muito grave e que é necessário diminuir a quantidade de pessoas em circulação, restringindo um pouco as atividades.

 

 

O Secretário de Saúde Fernando Meira, afirmou que será necessário pedir ajuda ao Governo do Estado:

 

 

 

” O Município pretende contar com o apoio do Estado em utilizar os outros hospitais da macrorregião Oeste e eventualmente de outras macrorregiões, que ainda possuem capacidade de atendimento para auxiliar a desafogar o excesso de demanda atualmente sobre o Hospital Manoel Gonçalves. Assim com esperamos que o SAMU, possa referenciar para outras cidades as situações de urgência e emergência que porventura forem possíveis de transferência.

 

A calamidade é gerada por um conjunto de fatores que se apresentam nesse momento crítico: equipe de profissionais cansada e sobrecarregada + dificuldade extrema para adquirir certos medicamentos essenciais como sedativos e bloqueadores neuromusculares, comprometendo a assistência adequada + aumento exponencial da demanda e do preço de itens críticos como oxigênio + falta de apoio do Estado em fornecer soluções e apoiar financeiramente”.

 

O Hospital Manoel Gonçalves e a Prefeitura de Itaúna emitiram uma nota informando a situação grave da entidade nesse momento da pandemia. Segundo a nota, toda a estrutura física do Hospital está em uso, com as alas de Covid e demais serviços em funcionamento. Devido o aumento de pacientes, todo o contingente de pessoal já não está conseguindo atender à demanda, que hoje apresenta 67 leitos ocupados, enquanto a capacidade é de 42 leitos Covid. Isso representa uma taxa de ocupação de 157%.Foi relatado na nota que não há pontos de oxigênio e não é possível a instalação de outros pontos.

 

De acordo com a Prefeitura, a nota tem por finalidade expor a grave situação em que a cidade se encontra em relação à Covid-19 e, por isso, é indispensável que toda a população siga as medidas de prevenção da doença: evitar aglomerações, usar máscara, higiene e evitar ir ao hospital.