NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 19 de maio de 2021

Coveiro em serviço no cemitério Parque Taruma em Manaus Bruno Kelly/Reuters

 

O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h desta quinta-feira (21).

O país registrou 1.335 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 214.228 óbitos desde o começo da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 1.010, voltando a ficar acima da marca de mil. A variação foi de +16% em comparação à média de 14 dias atrás, indicando tendência de crescimento nos óbitos pela doença.

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 8.699.814 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 59.946 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 53.386 novos diagnósticos por dia. Isso representa uma variação de +18% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de crescimento também nos diagnósticos.

Nove estados estão com alta nas mortes: MG, SP, MT, AM, RR, TO, AL, PE e SE.

Chama atenção a situação do Amazonas, que pelo segundo dia seguido aparece com média móvel de mortes acima de 100 por dia. No intervalo de um mês, essa média subiu de 12 a 118, quase 10 vezes a média de mortes de 21 de dezembro.

 

10 municípios de SP não têm mais vagas de UTI para Covid

O estado de São Paulo tem 58 municípios que estão com mais de 80% de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para Covid-19. Outros dez municípios estão com 100% de lotação nas UTIs.

O levantamento é da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Regional.

Ao todo, o Estado de SP tem 645 municípios, ou seja, esses 58 municípios representam 9% do total. Esses municípios estão espalhados em 15 das 17 diretorias regionais de saúde do estado.

As regiões com maior número de municípios comprometidos são Marília (9 municípios), Sorocaba (7 municípios) e Campinas (7 municípios).

O levantamento da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Regional informou que eram 9 cidades com 100% de ocupação nesta quarta-feira (20). No entanto, a Prefeitura de Mauá disse que também não tem mais leitos para Covid.

Para o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, a alta no número de internações foi provocado pelas festas de fim de ano.

“Essas cidades que estão com ocupação de mais de 80% que elas possam seguir essa recomendação de ter maiores restrições vindo para a fase vermelha, a exemplo do que faz agora São José dos Campos, mesmo a cidade estando em uma fase menos”, afirmou.

Vinholi disse que o governo vai criar novos 186 leitos de UTI no estado até o fim da próxima. “A capital segue de maneira controlada com leitos de UTI e a Grande São Paulo, com o município de Guarulhos, fazendo uma certa pressão em torno de internações, além também do Alto Tietê, Mogi. Portanto é momento de atenção, aumentar os leitos de UTI e as restrições nos municípios com maiores números de internações.”

O secretário garantiu que nenhum paciente vai ficar sem vaga podendo ser transferido para outra região através da Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (Cross). Esse sistema conecta todos os hospitais e serviços de saúde que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

“O estado segue com essa garantia de que ninguém vai ficar sem atendimento. Esse sistema Cross faz a regulação e quando necessário leva para a região ou município que tenha um leito de UTI mais próximo ou disponível. Hoje mesmo vamos ter uma reunião do Centro de Contingência e uma atualização do Plano São Paulo nas regiões que têm essa necessidade das restrições para arrefecer essa pandemia”, declarou.

 

100% de lotação

Veja a lista dos municípios com ocupação total dos leitos de UTI:

  • Itaquaquecetuba:
  • Américo Brasiliense;
  • Promissão;
  • Artur Nogueira;
  • Itatiba;
  • Socorro;
  • Pirassununga;
  • Fernandópolis;
  • Mauá;
  • Porto Feliz.

 

Por G1