NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 15 de junho de 2021

Vacina desenvolvida pela AstraZeneca – Foto Justin Tallis / AFP

 

 

O Brasil vai receber uma remessa de 3,7 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca no próximo domingo (2). O lote será repassado pelo mecanismo Covax Facility, consórcio de governos e farmacêuticas coordenado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e do qual o Brasil faz parte.

 

A chegada dos imunizantes em maio já havia sido confirmada pelo Ministério da Saúde. Contudo, a rede de televisão CNN Brasil informou que as remessas desembarcam no país dentro de três dias.

 

Pelo consórcio, o Brasil tem direito a 10,5 milhões de doses. Em março, foi enviado um total de 1 milhão de doses da vacina Oxford/AstraZeneca, cujos lotes foram fabricados na Coreia do Sul pelo laboratório BK Bioscience. O Ministério da Saúde não informou qual a previsão para o restante dos 5,5 milhões de doses que o Brasil ainda tem a receber no âmbito do Covax Facility.

 

Apelo

 

No último dia 19, após apelo de diversas autoridades, a ONU (Organização das Nações Unidas) confirmou que vai repassar para o Brasil 8 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 em maio. A decisão foi tomada durante reunião do Fórum de Governadores.

 

No início do mês, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), interviu para que as doses do consórcio fossem antecipadas ao Brasil. Ele enviou ofício ao secretário-geral da ONU, António Guterrez, apelando para a priorização do país na entrega de vacinas. No documento, o parlamentar descreveu o atual momento do Brasil como “dramático”.

 

“Dados confirmados pela OMS atestam que o Brasil se tornou o epicentro mundial da pandemia de Covid-19, com mais de 12 milhões de casos confirmados e 300 mil óbitos. Assistimos, consternados, a uma preocupante aceleração da curva de contágios”, afirmou o senador mineiro. Ele ainda citou a falta de insumos hospitalares para atender os pacientes infectados com o vírus.

 

Por O Tempo