Casal que tomou 4 doses de vacinas é denunciado pelo MPMG

30/09/2021 | Minas Gerais

 Casal será investigado por estelionato após tomar Coronavac, AstraZeneca e Pfizer – Foto: Reprodução

 

 

Um casal de empresários de Viçosa, na Zona da Mata de Minas Gerais, que tomou doses extras da vacina contra a Covid-19, foi denunciado pelo Ministério Público do Estado pelo crime de estelionato. A denúncia foi divulgada pelo órgão nessa quarta-feira (29).

 

De acordo com informações do MPMG, um homem, de 69 anos, e a mulher dele, de 73 anos, tomaram doses da Coronavac, da AstraZeneca e da Pfizer e podem pagar juntos indenização de R$ 1 milhão por danos morais coletivos.

 

O casal recebeu as duas doses da vacina desenvolvida pelo instituto Butantan em Viçosa. Em seguida, os dois viajaram até o Rio de Janeiro, onde omitiram já estarem imunizados, e receberam uma dose da vacina desenvolvida pelo laboratório de Oxford. Além disso, eles conseguiram tomar mais uma dose, novamente em Viçosa, da Pfizer.

 

Promotor à frente do caso, Luís Cláudio Fonseca Magalhães, da Comarca de Viçosa, destacou que o casal agiu em detrimento de entidades de direito público. “Salienta-se que o insumo é raro, escasso e pertence à administração pública que as adquiriu com a finalidade de imunizar a população, seguindo o Programa Nacional de Imunização, tendo, portanto, a conduta sido praticada em detrimento de entidades de direito público e sendo aplicável a causa de aumento de pena prevista no artigo 171, § 3º do Código Penal”, disse.

 

O Ministério Público começou a investigar o caso após denúncia da Coordenação de Atenção Primária em Imunização e Campanha da Secretaria Municipal de Saúde de Viçosa. Cada um dos acusados responderá duas vezes pelo crime de estelionato, que prevê pena de um a cinco anos de prisão.

 

Por O Tempo

Veja também