Caso Sheilla: Familiares e amigos fazem nova manifestação e cobram respostas

26/09/2023 | Centro-Oeste

 

Manifestação foi realizada em frente à Delegacia de Polícia Civil –  Foto Luciany Oliveira/Tv Integração

 

 

Familiares e amigos de Sheilla Angelis de Almeida, que desapareceu em Divinópolis enquanto trabalhava no dia 9 de setembro, realizaram uma nova manifestação como forma de cobrar respostas sobre o caso.

 

O ato aconteceu em frente à Delegacia de Polícia Civil, no início da noite desta segunda-feira 25/9.

 

Com velas, os participantes pediram respostas sobre o paradeiro da motorista de aplicativo. No último dia 15, foram realizadas duas carreatas com o mesmo propósito.

 

A Polícia Civil informou que a investigação continua em andamento e que detalhes serão divulgados em momento adequado, com objetivo de manter a integridade das apurações.

 

Sheilla Angelis de Almeida está desaparecida – Foto Facebook/Reprodução

 

 

 

Veja o que se sabe sobre o caso em ordem cronológica:

 

 

9 de setembro: Sheilla sumiu por volta das 18h, após fazer uma corrida no Bairro Campina Verde, com um veículo Fiat/Argo branco.

 

 

10 de setembro: O carro dela passa por Juiz de Fora. Foi registrada uma compra com o cartão de Sheilla em uma loja de conveniência em São João Del Rei, por volta das 00:30, e outra compra em uma cidade no estado do Rio de Janeiro.

 

 

12 de setembro: O delegado Flávio Tadeu Destro disse que o inquérito está em regime de prioridade e não descarta nenhuma linha de investigação. Ele também pediu que a população repasse qualquer informação relevante à polícia.

 

 

13 de setembro: Marina Almeida, prima de Sheilla, falou da angústia que ela e a família têm vivenciado nos últimos dias. “Estão sendo dias angustiantes. Quanto mais o tempo passa, mais a angústia aperta”, contou.

 

 

15 de setembro: Familiares, amigos e colegas de trabalhos fizeram carreatas em Divinópolis como forma de cobrar respostas sobre o caso.

 

 

Investigação

 

No dia 12 de setembro, o delegado Flávio Tadeu Destro disse que a apuração do caso é prioridade e não descarta nenhuma linha de investigação. Destro também informou que testemunhas e familiares já foram ouvidos e pede a ajuda da população.

 

“A gente solicita que qualquer informação relevante que possa contribuir na localização e na identificação do paradeiro de Sheilla seja levada ao conhecimento da Polícia Civil, através do telefone 181, ou também através do 190, da Polícia Militar”.

 

Novas informações também podem ser levadas na Delegacia da Polícia Civil, que fica na Rua Goiás, nº 1983, na Vila Santo Antônio. O sigilo da fonte será garantido.

 

*Com informações do G1 

 

 

Desaparecimento de motorista de aplicativo completa duas semanas

 

 

 

Veja também