Cervejaria Backer é multada em mais de R$ 5 milhões

6/05/2022 | Brasil, Minas Gerais

Foi aplicada uma multa de de R$ 5.099.193, além da inutilização dos produtos apreendidos – Foto Reprodução

 

Nesta quinta-feira (5), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) finalizou a apuração de supostas infrações administrativas cometidas pela cervejaria Backer e, segundo a pasta, após o trabalho dos auditores fiscais federais agropecuários, foi aplicada uma multa de de R$ 5.099.193, além da inutilização dos produtos apreendidos e interdição parcial do estabelecimento.

 

“As penalidades foram impostas devido ao estabelecimento ter ampliado e remodelado a área de instalação industrial registrada, sem devida comunicação ao Mapa; deixar de atender intimações,  dentre elas a de recolhimento dos produtos; alterar a composição de cervejas sem a prévia comunicação; comercializar cerveja sem devido registro do produto e por produzir, engarrafar e comercializar 39 lotes de cerveja com presença de monoetilenoglicol ou dietilenoglicol”, informou o Ministério em seu site.

 

Apesar das penalidades impostas pelo Mapa, no início de abril deste ano, a Backer recebeu autorização para retomar parcialmente a produção e comercialização de cerveja na fábrica localizada no Olhos D’Água, região Oeste de BH. Essa liberação, de acordo com o Ministério da Agricultura, continua em vigor e foi concedida “após serem atendidas as exigências para garantir a segurança dos produtos, referentes às condições dos tanques de fermentação e equipamentos que serão utilizados neste retorno”.

 

Relembre o caso

 

Os casos de contaminação pela cerveja Belorizontina, fabricada pela Backer, vieram à tona em janeiro de 2020. Após relatos de sintomas de intoxicação, muitos associados a problemas hepáticos, ao menos 16 pessoas foram internadas e 10 morreram após o consumo da bebida.

 

Investigações da Polícia Civil constataram a presença de dietilenoglicol na marca Belorizontina. Essa substância é um anticongelante utilizado no processo de fabricação de cerveja, sem contato com a bebida, e é tóxica quando ingerida.

 

Na época, foram apreendidos 79.481,34 litros de cerveja com presença dos contaminantes, sendo 56.659 garrafas que ofereciam riscos aos consumidores. Também foram recolhidos do comércio todos os produtos da marca.

 

Por Hoje em Dia

 

 

Veja também