NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 1 de junho de 2020

Foto Cristiane Mattos / O Tempo

 

 

A Cidade Administrativa foi atingida por dois disparos de arma de fogo na noite dessa quarta-feira (20). A polícia ainda não conseguiu identificar quem são os responsáveis pelos tiros, que, segundo informações preliminares, teriam sido disparados da MG–010. A motivação também é desconhecida. Duas janelas do prédio Minas, um dos que compõem a sede do Estado, ficaram trincadas.

Após inspeção, constatou-se que não há nenhum dano aparente nas fachadas dos prédios Gerais e Tiradentes. A Polícia Civil informou por meio de nota que instaurou um inquérito para apurar o caso, e peritos do Instituto de Criminalística estiveram na Cidade Administrativa. Espera-se que o laudo sobre os disparos seja concluído nos próximos 30 dias.

Entenda

Os dois disparos aconteceram no começo da noite dessa quarta-feira (20). Militares do Batalhão de Policiamento da Guarda instalado próximo à Cidade Administrativa acionaram o patrulhamento da região após terem escutado dois estampidos semelhantes a disparos de arma de fogo aproximadamente às 19h30.

De acordo com eles, naquele momento já havia a percepção de que os tiros teriam sido disparados da MG–010. Policiais da base comunitária que fica na sede do governo patrulharam a região, mas não encontraram quaisquer indícios de crime.

Aliás, naquela hora da noite, muitos pedestres caminhavam no entorno da Cidade Administrativa. Havia também um grupo de pessoas à espera de ônibus em um ponto que fica em frente aos prédios, às margens da rodovia. Ninguém pareceu nervoso ou ciente dos disparos, segundo descrito na ocorrência policial.

Um terceiro grupo de militares que atua no complexo confirmou também ter escutado o som dos tiros e disse que não era possível precisar se ele teria partido de pessoas em um carro ou em uma motocicleta, justo porque no momento era intenso o tráfego pela MG–010.

Os policiais encontraram dois projéteis caídos na entrada do prédio Minas. Após uma varredura nas fachadas dos prédios, eles encontraram as duas janelas trincadas. Aparentemente, nenhum outro ponto do complexo foi atingido pelos disparos. A perícia compareceu à Cidade Administrativa, mas não conseguiu identificar o calibre dos projéteis achados. O caso seguiu para a Central de Flagrantes 4, em Belo Horizonte.

Por O Tempo