NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 16 de junho de 2021

O medicamento foi adquirido pelo Governo de Minas  – Foto Divulgação

 

 

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) distribuiu nesta sexta-feira (28), uma nova remessa de medicamentos utilizados no processo de intubação de pacientes com a Covid-19 para hospitais do Centro-Oeste de Minas.

 

De acordo com a SES-MG, 1.350 ampolas de midazolam foram entregues para hospitais de Itaúna, Divinópolis, Formiga, Nova Serrana e Santo Antônio do Monte. O medicamento é essencial para a sedação dos pacientes em tratamento do coronavírus.

 

O medicamento foi adquirido pelo Governo de Minas e o midazolam será suficiente para uma cobertura de dois dias, conforme a SES-MG.

 

Veja a quantidade de ampolas entregues para os hospitais no Centro-Oeste de MG:

 

Midazolam

Cidade Hospital Quantidade recebida
Divinópolis UPA Padre Roberto e Hospital de Campanha 140
Formiga Hospital de Campanha Covid-19 20
Formiga Santa Casa de Caridade 60
Itaúna Fundação Hospitalar São Vicente de Paula 220
Itaúna Casa de Caridade Manoel Gonçalves de Souza Moreira 640
Nova Serrana Fundação Hospitalar São Vicente de Paula 220
São Sebastião do Oeste Santa Casa de Misericórdia 50

Fonte: SES-MG

 

 

Abastecimento de medicamentos

 

Em ação preventiva, para lidar com um possível aumento de consumo de sedativos, o diretor de Medicamentos Básicos da SES-MG, Jans Bastos Izidoro, explicou que o Estado está adquirindo grande quantidade de sedativos para que não ocorra desabastecimento e haja estoque de retaguarda.

 

“O estado já comprou quase 800 mil ampolas de fentanil, sedativos que já estão sendo disponibilizados periodicamente aos hospitais. A expectativa é que, a partir da próxima semana, a gente receba mais 200 mil itens”, acrescentou.

 

Parte dos fármacos foi adquirida no mercado internacional.

 

Monitoramento

 

A SES-MG, juntamente com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais (Cosems-MG), faz levantamento periódico dos quantitativos dos prestadores e fornecedores de medicamentos e insumos das unidades hospitalares. Também é monitorado o abastecimento de fármacos nas redes públicas e privadas de assistência médico-hospitalar, que devem informar regularmente à SES-MG sobre estoques disponíveis de medicamentos e insumos.

 

O monitoramento é feito a partir da autodeclaração e preenchimento de formulário. Assim que cada remessa chega ao estado, o resultado do monitoramento semanal é analisado para distribuição aos hospitais em situação mais crítica e conforme disponibilidade do estoque. A sugestão de distribuição é validada junto a uma comissão da SES-MG e do Cosems-MG.

 

 

 

 

Por G1