Curso Pioneiro no Brasil

14/05/2015 | Itaúna

curso juiz eleitoral

 

 

OTribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais -TRE/MG, em uma iniciativa pioneira no Brasil, está realizando o curso “Formação Básica do Juiz Eleitoral”, no qual o Chefe de Cartório de Itaúna, Euder Monteiro, atua como um dos tutores e conteudistas. O curso está sendo ministrado à distância, por meio da internet.

A primeira turma conta com mais de 70 Juízes Eleitorais, que exercem suas funções em Minas Gerais e, segundo as primeiras avaliações, alcançou significativo êxito em seus propósitos. Os Juízes e os dois tutores trocaram mais de 200 mensagens nos fóruns do curso, que versou, dentre outros assuntos, sobre os detalhes do processo eleitoral brasileiro e sobre ações judiciais eleitorais específicas do Direito Eleitoral e Partidário.

Com todas as vagas preenchidas, a primeira turma do Curso de Formação Básica do Juiz Eleitoral, na modalidade a distância, encerra as atividades nessa sexta-feira (15). O curso, feito via web por meio da plataforma da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam), foi iniciativa pioneira dentre as atividades de treinamento dos magistrados da Justiça Eleitoral mineira.

Participaram do treinamento, promovido pela Escola Judiciária Eleitoral e pela Coordenadoria de Educação e Desenvolvimento do TRE-MG, 77 juízes titulares de zonas eleitorais em Minas Gerais. O curso foi dividido em três eixos –Questões funcionais e administrativas, Processo Eleitoral e Aspectos Jurisdicionais e Relacionamentos Interpessoais. O primeiro abordou aspectos da estrutura do TRE e de seu funcionamento, além de procedimentos cartorários, o relacionamento dos magistrados com a imprensa, a gestão de documentos, o Centro de Memória do Tribunal e a Ouvidoria. O segundo eixo detalhou todo o processo eleitoral com seus aspectos jurisdicionais e as ações eleitorais. O terceiro eixo tratou da relação do magistrado com a equipe do cartório.

Cada uma dessas grandes áreas teve um fórum de debates com a participação intensa dos juízes, mediados pelos tutores – a juíza eleitoral Cláudia Helena Batista e o servidor Euder Monteiro. Para a juíza Cláudia Batista, “a possibilidade de interação é uma das riquezas do curso”. Segundo a observação da magistrada, os temas que geraram mais participação dos juízes foram os relacionados à gestão de pessoal, à legislação eleitoral e ao cotidiano dos cartórios. Como tutores, a juíza e o servidor tiveram de responder os questionamentos dos magistrados, que surgiram ao longo das aulas. Segundo Euder, as colocações eram de alto nível e algumas perguntas demandaram, inclusive, pesquisas bem apuradas.

Para abranger todos os magistrados que compõem a Justiça Eleitoral mineira, estão previstas novas turmas. A próxima terá início em agosto.

Veja também