NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 22 de abril de 2021

Foto Reprodução Internet

 

Existem pessoas que não têm o objetivo de se relacionar com ninguém, elas não estão interessadas em compromisso, o seu interesse está somente na conquista, em satisfazer o seu próprio desejo.

No começo essas pessoas vão te tratar como ninguém tratou antes, elas vão falar o que você deseja ouvir, e vão te dar todos os sinais de que desejam ter algo sério com você, mas com o tempo vão se mostrando como realmente são.

Na maioria das vezes os sinais de que um relacionamento vai ser complicado surgem já no começo, mas muitas pessoas preferem se enganar e entrar de cabeça em relações potencialmente destrutivas, e assim acabam por se machucar.

Como consequência elas saem desse relacionamento totalmente fragilizadas, com amor próprio e autoestima abalados, sem entender o que procuram em um relacionamento e sem saber o que realmente merecem, entrando em um ciclo de escolhas ruins.

Primeiramente você precisa entender que nenhuma das suas escolhas amorosas são aleatórias, porque elas não são! Os pares não se formam ao acaso. Todas as suas vivências e experiências (conscientes e inconscientes) influenciam na hora de escolher um parceiro amoroso.

Se você viveu num lar conflituoso, em meio a relacionamentos destrutivos, essa vai ser a sua referência de amor. Sendo assim, você tem muitas chances de repetir aquela situação, e se sentir sempre atraído pelo mesmo tipo de parceiro (tóxico) porque o que aquela pessoa te proporciona lhe é familiar.

E essa situação só se agrava, por falta de autoconhecimento.

“Até você se tornar consciente, o inconsciente irá dirigir a sua vida e você vai chamá-lo de destino” – Carl Jung.

Se você se identifica com essa situação e está sempre se relacionando com as pessoas erradas, saiba que é possível romper esse ciclo.

Você precisa se conhecer, se conscientizar daquilo que se repete. Também precisa desenvolver a sua autoestima e o seu senso de merecimento. Esse é o caminho para se ter mais autonomia sobre suas escolhas amorosas!

Fernanda Nogueira
Psicóloga
Pós Graduada em Neuropsicologia
Pós Graduada em Psicologia Org. e do Trabalho
@fernandanogueira_psi