Detento é morto a tiros ao deixar Pio Canedo em saída temporária

30/06/2023 | Centro-Oeste, Polícia

 

Os agentes contaram ainda que o alvo dos disparos era um detento de 33 anos – Foto Reprodução

 

 

Um detento de 33 anos em saída temporária foi morto a tiros logo após deixar a Penitenciária Pio Canedo, em Pará de Minas, nesta quinta-feira 29/6.

 

A Polícia Militar foi acionada por funcionários da penitenciária. Eles ouviram barulhos de disparos de arma de fogo fora da unidade. Também relataram que viram pelas câmeras de monitoramento um homem correndo no meio da mata, além de um veículo sair em alta velocidade sentido ao parque de exposições.

 

Os militares iniciaram rastreamento e, perto da entrada de uma fazenda, foi localizado chinelo e diversas cápsulas de munições deflagradas. Ainda durante as buscas pela mata, o detento em saída temporária foi localizado caído e sem vida, com algumas perfurações pelo corpo.

 

Assim que acionada, a Polícia Civil informou que, uma equipe composta por investigadores, peritos e delegados de polícia, compareceu ao local para coleta de informações.

 

O corpo foi encaminhado para necropsia no Instituto Médico Legal (IML) de Betim, pelo serviço de remoção da Polícia Civil. Um inquérito para esclarecer a autoria e motivação do crime segue em andamento na Delegacia de Polícia Civil.

 

Morte na prisao

 

Um detento de 33 anos foi encontrado morto na Penitenciária Doutor Pio Soares Canedo, em Pará de Minas, na segunda-feira 26/06.

 

Segundo a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), outro preso confessou a autoria do crime.

 

O  homem foi encontrado no chão do banheiro da sala multiuso da unidade. Ele estava com perfurações pelo corpo e uma corda amarrada no pescoço. A equipe de enfermagem da unidade confirmou o óbito.

 

Após os trabalhos da perícia da Polícia Civil, o corpo foi liberado para o Instituto Médico Legal (IML).

 

A Sejusp afirmou que foi instaurado um procedimento para apurar administrativamente as circunstâncias do ocorrido. O caso será investigado pela Polícia Civil.

 

 

 

 

Veja também