Dia do Radialista: quem são os companheiros do ouvinte?

7/11/2023 | Brasil

 

Data faz homenagem ao radialista Ary Barroso, que nasceu no dia 7/11 em Ubá, interior de Minas – Foto Reprodução

 

 

A comemoração do Dia do Radialista ainda hoje acaba gerando muita confusão. Por anos e anos, a data era lembrada no dia 21 de setembro.

 

Entretanto, uma lei federal assinada em 2006 transferiu para 7 de novembro o dia que homenageia os radialistas. A curiosidade é que, com a alteração, muitos passaram a comemorar o Dia do Radialista em duas datas.

 

A história teve início em 1943, no primeiro governo de Getúlio Vargas. O então presidente sancionou uma lei em que fixava um piso salarial, ou remuneração mínima para os profissionais da categoria.

 

A data, 21 de setembro, passou a ser comemorada em alusão ao histórico decreto. Consta que a Rádio Nacional do Rio de Janeiro foi quem realizou as primeiras comemorações para o Dia do Radialista, ainda na década de 40.

 

Dia do Radialista: quem são os companheiros do ouvinte?

 

 

 

 

Mudança na data 

 

Em 2006, foi publicada a lei nº 11.327, que institui 7 de novembro como a data de comemoração oficial do Dia do Radialista. A mudança aconteceu em decorrência a uma homenagem ao músico e radialista Ary Barroso.

 

Barroso nasceu no dia 7 de novembro de 1903 em Ubá, interior de Minas Gerais. Autor de sambas como Aquarela do Brasil, de 1939, foi um compositor que revolucionou a música brasileira.

 

Sua paixão pelo rádio foi verificada principalmente na Rádio Tupy, na qual produziu e participou de vários programas e ainda foi locutor e cronista esportivo.

 

Mesmo com a mudança imposta pela lei de 2006, os radialistas utilizam ainda hoje as duas datas para comemorar, além do tradicional Dia do Rádio, 25 de setembro.

 

Ary Barroso: O Radialista completo

 

Órfão dos pais aos 6 anos, foi criado pela avó. No rádio, fez sucesso na locução esportiva – Foto Reprodução Abert

 

 

Em 7 de novembro de 1903, nasceu em Ubá, Zona da Mata Mineira, o compositor Ary Barroso. Em sua homenagem, a lei nº 11.327/2006 instituiu a data para comemorar o Dia do Radialista.

 

Ary Barroso vai muito além da autoria de “Aquarela do Brasil”, sua principal composição, que elevou o gênero samba, com versos ufanistas, à categoria de símbolo musical nacional.

 

Órfão dos pais aos 6 anos, foi criado pela avó, que o ensinou a tocar piano, com apoio da tia Ritinha, pianista profissional. Ali nascia o gosto pela música. Aos 16 anos, sua primeira composição: “De Longe”. Um ano depois, mudou-se para o Rio de Janeiro, para estudar Direito, mas foi na boemia que descobriu seu talento, como pianista do Cinema Íris, no Largo da Carioca.

 

Mesmo concluindo a faculdade, Ary Barroso passou a ter uma rotina constante de shows em todo Brasil. Nos anos 1930, criou as primeiras composições para o teatro musicado. Em 1944, “Aquarela do Brasil” cai no gosto popular após ser inserida no longa-metragem animado “Você Já Foi à Bahia?”, de Walt Disney. Como compositor criou 264 canções!

 

No rádio, fez sucesso na locução esportiva, com sua gaita tocando a cada gol feito, ou como apresentador de programas como “A Hora do Calouro”. Foi parceiro de Carmen Miranda em muitos sucessos, no rádio e no cinema

 

Passou por emissoras de rádio como Cruzeiro do Sul e Tupi e, mais tarde, pelos canais de TV. Faleceu aos 60 anos, deixando como exemplo a trajetória de um radialista completo, que transitou por todas as áreas, sendo múltiplo e eclético.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Veja também