Estação de Tratamento de Esgoto será inaugurada em setembro

24/07/2023 | Itaúna

Com a finalização das obras, Itaúna conclui o processo de universalização do saneamento básico – Foto Divulgação SAAE

 

 

A Estação de Tratamento de Esgoto Marco Elísio Chaves Coutinho será inaugurada no aniversário de 122 de Itaúna, no dia 16 de setembro.

 

Com a finalização das obras, Itaúna conclui o processo de universalização do saneamento básico 10 anos antes do previsto pelo Marco Legal. A universalização do saneamento básico, um dos grandes desafios da maioria dos municípios brasileiros, é o caminho para melhoria das condições de saúde pública da população, com necessidades básicas atendidas (água tratada, coleta de lixo, esgoto tratado, dentre outros).

 

A ETE,  localizada próximo à Fazendinha, no Distrito Industrial, irá tratar todo o esgoto doméstico do município de Itaúna e sanar os lançamentos de esgoto no rio São João. A estação terá dois reatores anaeróbios, principais responsáveis pelo início de todo o processo.

 

Os equipamentos garantirão o tratamento de 219 litros de efluentes por segundo, vazão estimada de acordo com o número de habitantes de Itaúna. Contudo, a capacidade instalada é de até 400 l/s, prevendo o crescimento da população até 2050.

 

O tratamento da água evita a proliferação de doenças de veiculação hídrica, ou seja, aquelas que têm na água um meio de propagação. Outra razão de relevância para tratar os esgotos é a preservação do meio ambiente. Os poluentes presentes no esgoto in natura, ou seja, sem tratamento, impacta diretamente na qualidade da água e na sobrevivência da vida aquática.

 

A Prefeitura e Saae classificam a ETE como ” a maior obra pública da história da cidade”

Homenagem a Marco Elísio

 

Marco Elísio Chaves Coutinho nasceu em Itaúna, em 01/12/1935, filho do doutor Antônio de Lima Coutinho, prefeito de Itaúna entre 1947 e 1951, e de Nair Chaves Coutinho. Seus pais tiveram passagem pela Escola Normal de Itaúna, ele, como professor de francês, psicologia infantil, higiene escolar e vice-diretor, ela como diretora, sendo que, segundo o professor Guaracy de Castro Nogueira, “no período em que a Escola foi desoficializada, por sete anos, o doutor Coutinho e sua esposa dona Nair, como vários outros dedicados professores, lecionaram suas matérias sem remuneração alguma”.

 

O professor Marco Elísio Chaves Coutinho, também herdou as qualidades paternas e maternas, consolidando-se em sua singular personalidade de “patriota itaunense”, amando a nossa Sant’Ana de São João Acima com pureza de sua fé e para as causas mais nobres, ficando sempre a serviço de todos.

 

Portador de admirável cultura humanística, educador nato, foi professor de Geografia, Inglês e Francês, em diversos colégios da cidade, como Colégio Estadual, Colégio Santana, Ginásio de Santanense. Também lecionou por muitos anos, Sociologia e História, Ciências e Letras na Universidade de Itaúna.

 

Foi Secretário Executivo da Fundação de Cultura, Desportos e Turismo de Itaúna, no governo do prefeito Celio Soares de Oliveira, e numa época em que o meio ambiente ainda não era assunto oficial, dedicou-se também aos problemas ecológicos da cidade.

 

Marco Elísio sempre foi um grande “Guardião do Meio Ambiente”, combatente das boas causas, incentivando e orientando o uso racional da natureza, que, deve atender às necessidades do momento, mas, sem comprometer às necessidades futuras. Era casado com Vera Lucia Amaral Coutinho e faleceu em janeiro de 2018 deixando 4 filhos.

 

Livros editados:

 

– O Sopro de Esperança. Em favor da Vida. Volumes 1 e 2

– Sopros – Questão Ecológico– Humanista Urgente, 3ª ed. Itaúna:Vile Editora 2011;

– O Rosário Bíblico Meditado: Orações do Rosário 2ª ed.;

– Ave, Maria: Bernadete e a Imaculada Conceição, Aparições de nossa senhora em Itaúna e terço dos homens, A caminho da santidade padre Eustáquio e irmã Benigna em Itaúna, Gruta e devoções. Ed 1ª

 

 Sistema da ETE

 

1/2) Os efluentes gerados nas residências serão transportados até a Estação de Tratamento de Esgoto-ETE, por meio dos interceptores de esgoto, que irão desaguar no Tratamento Preliminar (01 unidade) processo responsável por promover a remoção de sólidos grosseiros através de gradeamento–peneiras rotativas e desarenadores.

 

Após passarem pelo Tratamento Preliminar os efluentes serão encaminhados à Caixa Divisora de Vazão–CDV I que irá distribui-los aos Reatores UASB–Upflow Anaerobic Sludge Blanket.

 

 

Estação de Tratamento de esgoto-ete_Easy-Resize.com (2)

 

3) Os Reatores UASB (02 unidades) têm por objetivo promover, simultaneamente, o tratamento físico, por meio da sedimentação dos resíduos sólidos em suspensão, presentes na massa líquida; e o tratamento biológico, mediante a digestão anaeróbia da matéria orgânica solúvel e particulada presente nos esgotos.

 

Cópia de Estação de Tratamento de esgoto-ete_Easy-Resize.com (1)

 

4) Após serem tratados nos Reatores UASB, os efluentes são encaminhados à Caixa Divisora de Vazão–CDV II (01 unidade) a qual promoverá a divisão da vazão dos efluentes para os Filtros Biológicos Percoladores.

 

Cópia de Cópia de Estação de Tratamento de esgoto-ete_Easy-Resize.com (1)

 

5) Os Filtros Biológicos (02 unidades) têm a função de dar um refinamento ou polimento no efluente do Reator. Esse objetivo será alcançado com o uso de unidades de um meio suporte fixo, tipo colmeia, o mais moderno em uso, na qual se desenvolvem, em seus vazios, uma película bacteriana capaz de reduzir a matéria orgânica dissolvida remanescente do Reator UASB.

 

Cópia de Cópia de Cópia de Estação de Tratamento de esgoto-ete_Easy-Resize.com (1)

 

6) Após a passagem pelos filtros, o efluente é encaminhado aos Decantadores Secundários, que promoverão a sedimentação dos lodos desalojados.

 

Cópia de Cópia de Cópia de Cópia de Estação de Tratamento de esgoto-ete_Easy-Resize.com (1)

 

7) Após a decantação o efluente passa pela unidade de desinfecção por meio do sistema ultravioleta, usado para a eliminação de patógenos, ou seja, de bactérias e finalmente será encaminhado ao corpo receptor, neste caso o Rio São João.

 

Cópia de Cópia de Cópia de Cópia de Cópia de Estação de Tratamento de esgoto-ete (1)_Easy-Resize.com (1)

 

8) Esse lodo produzido no sistema será encaminhado para os leitos de secagem ou para a centrífuga onde ocorrerá a desidratação do lodo, que depois será enviado para descarte no aterro sanitário.

 

Cópia de Cópia de Cópia de Cópia de Cópia de Estação de Tratamento de esgoto-ete_Easy-Resize.com (1)

 

 

Linha do Tempo

 

Um convênio assinado pela Prefeitura de Itaúna e o Governo Federal, por meio do Ministério das Cidades entre os anos de 2014 e 2015, garantiu cerca de R$ 15 milhões para início das obras. Posteriormente, em 2017, foi aprovado pela Câmara a abertura de crédito especial de R$ 12 milhões para a conclusão da estrutura.

 

Em 2017, uma Comissão de Sindicância instituída pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto – SAAE, , detectou irregularidades na concorrência, modalidade pregão, realizada em 2016, para a aquisição de peças hidráulicas para a construção da segunda etapa da Estação do Tratamento de Esgoto – ETE. O trabalho começou após apontamentos dos setores de Controle Interno e Jurídico, que identificaram as falhas. A conclusão das apurações levou a autarquia a anular o contrato firmado na gestão anterior e fazer outro processo licitatório, que garantiu a continuidade das obras.

 

Durante o ano de 2018, a obra enfrentou diversos contratempos que implicaram na reprogramação do projeto inicial junto à Caixa Econômica Federal, representada à época pelo Ministério da Cidades, hoje extinto. Foi criada uma Comissão Interna, composta por membros diretamente envolvidos com a questão.

 

Também em 2018, SAAE e Prefeitura assinaram a contratação da empresa Engetintas Revestimentos Anticorrosivos Ltda, vencedora do Processo Licitatório nº 237/18, para impermeabilização dos reatores anaeróbios, filtros percoladores, caixa de vasão, tratamento pré-eliminar e caixas de passagem, pois o esgoto é extremamente corrosivo, e  pode danificar as estruturas e tubulações de ferro fundido da estação a curto prazo.

 

Em 2020 foi oficializada a contratação da empresa Dinamus Componetes Ambientais Ltda, responsável por fornecer o material filtrante (suporte) que recebe a matéria orgânica composta por bactérias aeróbicas que auxiliam no sistema de tratamento do esgoto por meio de dois Filtros Percoladores.O suporte de polipropileno que armazenará as colônias de bactérias aeróbicas possui 25,5m de diâmetro e o volume de 1.711,53m³ cada, totalizando 3.423,06m³. Já a contratação foi realizada por meio de Processo Licitatório, no valor de R$2,340 milhões

 

Em março de 2023,  mais 40 luminárias de LED de alto rendimento foram instaladas em postes de seis metros para permitir a iluminação eficiente da estação.

 

 

 

 

Veja também