NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 30 de outubro de 2020

Foto: Pixabay

 

Um homem de 52 anos foi preso suspeito de assassinar a própria mãe, uma idosa de 75 anos, para roubar R$ 700 da aposentadoria dela. Antes do crime, a idosa negou dar o dinheiro para o suspeito já que ele disse que queria comprar drogas.  O assassinato aconteceu em Visconde do Rio Branco, na Zona da Mata de Minas Gerais, no último dia 8 de outubro.

 

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito deu uma machadada na cabeça da mãe e chamou uma ambulância para simular que ela tivesse sofrido uma queda e se machucado. “O fato que nos chamou a atenção não foi apenas a motivação torpe e o requinte de crueldade perpetrado pelo investigado, ao usar um machado e desferir golpe na região craniana da vítima, pessoa idosa, mas também a audácia daquele em acionar socorro, visando simular que a vítima havia sofrido uma queda, quando, na realidade, foi assassinada pelo próprio filho. Segundo o homem, ele estava drogado na data do fato”, explica o delegado regional em Ubá, Diêgo Candian Alves, por meio da assessoria de imprensa da Polícia Civil.

 

Os médicos da ambulância acionaram a polícia ao perceberem que a mulher tinha múltiplos ferimentos  na cabeça. “O investigado teria informado que foi até a residência da vítima para ir ao banheiro, momento em que se deparou com sua mãe deitada no chão da sala, com um grande sangramento, desacordada e com um ferimento na cabeça”, complementa o delegado.

 

Durante as investigações, a Polícia Civil descobriu que o suspeito queria que a mãe lhe desse os R$ 700 da aposentadoria dela para ele comprar drogas. Após matar a idosa, o filho pegou o dinheiro dela. “Os familiares deram falta do dinheiro, tudo levando a crer que essa quantia teria sido também subtraída pelo homem, pois ele tinha o hábito de subtrair valores de sua mãe para comprar drogas. Ao empreenderem diligências no local do crime, os investigadores da comarca de Visconde do Rio Branco também conseguiram localizar e apreender o machado utilizado no delito, bem como as roupas do suspeito, que apresentavam marcas de sangue da vítima”, conta o delegado.

 

O suspeito confessou o crime e disse que estava drogado no momento que matou a mãe. Ele pediu a ela o dinheiro para que ele pudesse comprar entorpecentes, ela negou. O suspeito foi até o quarto do padrasto pegou o machado e deu os golpes.

 

Ele já tem passagem policial por crime de homicídio e será indiciado pelo crime de latrocínio – roubo seguido de morte. Ele já foi encaminhado ao sistema prisional.

 

Por: O Tempo