Força-tarefa caça homem que matou mulher, bebê e fazendeiro

30/11/2021 | Brasil

A caçada envolve ao menos 50 homens das Polícias Civil e Militar de Goiás –  Polícia Civil de Goiás

 

 

Quatro meses após o caso de Lázaro Barbosa de Souza, o criminoso morto pela polícia após 20 dias em fuga, moradores do Distrito Federal e Entorno acompanham uma nova caçada a um assassino.

 

As forças de segurança do estado de Goiás se mobilizam para localizar o caseiro Wanderson Mota Protácio, 21 anos. Ele é acusado de matar a esposa grávida de 4 meses, a enteada, de 1 ano e 8 meses, e um fazendeiro vizinho. Os crimes aconteceram na noite de domingo (28), em Corumbá de Goiás, a 124km de Brasília.

 

Rânia Aranha Figueiro, 21, que estava grávida, e a enteada Geysa Aranha da Silva Rocha foram mortas a facadas. Pouco antes, o caseiro teve uma discussão com a mulher, segundo vizinhos. Depois de matar mãe e filha, ele foi até a casa do patrão e pegou um revólver com seis projéteis.

 

Em seguida, o homem invadiu uma fazenda próxima e matou o proprietário rural Roberto Clemente de Matos com um tiro na cabeça. Além disso, tentou estuprar a esposa do homem e a atingiu com um tiro no ombro antes de fugir. A mulher fingiu-se de morta para escapar com vida.

 

O assassino levou a caminhonete de Roberto e abandonou o veículo após alguns quilômetros, na GO-225, perto da divisa de Goiás com o Distrito Federal.

 

Wanderson vendeu alguns bens, como o celular da esposa, e conseguiu contratar uma pessoa que o levou até Abadiânia (GO). Por isso, as buscas estão concentradas entre as vizinhas Alexânia e Abadiânia, que ficam no Entorno do Distrito Federal.

 

A caçada envolve ao menos 50 homens das Polícias Civil e Militar de Goiás, cães farejadores e até um helicóptero.

 

Fugitivo já foi preso por tentativa de feminicídio

 

Em dezembro de 2019, Wanderson foi preso por tentativa de feminicídio contra uma cunhada do pai dele. A vítima recebeu diversos golpes de faca nas costas. O caso aconteceu em Goianápolis (GO).

 

A discussão começou após Wanderson chegar em casa alcoolizado e sob efeito de drogas. Na casa, ele ameaçou a mulher, ordenando que a mulher entrasse em um quarto com ele.

 

Após a negativa, o homem desferiu os golpes de faca, que acabou quebrando. Wanderson fugiu pulando os muros e se escondeu em uma casa próxima. Ele ficou preso na Unidade Prisional de Goianópolis, mas ganhou a liberdade em março de 2020.

 

Lázaro foi morto após 20 dias em fuga

 

Policiais militares de Corumbá, Abadiânia, Anápolis e representantes da tropa de Goiânia fazem parte da operação. A Segurança Pública do estado tenta evitar que o caso se prolongue e não se transforme em um novo caso Lázaro.

 

O caseiro Lázaro foi capturado depois de 20 dias e morreu com pelo menos 38 tiros, no dia 28 de junho, após resistir à prisão. Os policiais dispararam 125 tiros antes de o criminoso ser morto em uma região de Águas Lindas (GO), cerca de 20 quilômetros da base montada pela força-tarefa em Girassol.

 

Ele era acusado de vários assassinatos, entre eles, o de uma família que morava em Ceilândia, no Distrito Federal.

 

Por O Tempo 

 

 

 

 

Veja também