Médica vem causando preocupação e revolta em população itaunense

16/01/2015 | Itaúna

medica obstetra ginecologista reclamacoes

 

 

 

 

 

 A ginecologista e obstetra Dra Maria Aparecida Silva e Souza, que atua no Hospital Manoel Gonçalves desde maio de 2014, vem recebendo reclamações por parte de várias pessoas que passaram pela instituição de saúde e foram atendidos pela médica.

Desde que vieram à tona relatos veiculados pela mídia de que a ginecologista teria envolvimento na morte de 11 bebês no Hospital São José, em Nova Serrana, onde atuou por mais de 22 anos, a população vem solicitando que ela seja desligada do corpo de médicos do Hospital.

A doutora, já foi punida, no ano de 2012, pelo Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais. A profissional, acusada de imperícia, imprudência e negligência, recebeu a pena disciplinar de censura pública.

Na tarde desta quinta-feira dia 15 de Janeiro, a reportagem da Santana FM esteve presente na reunião do conselho municipal de Itaúna, onde foi comentado o assunto. Conversamos com o Diretor Clínico do Manoel Gonçalves, Dr. Austenir Maciel Coelho, que dentre outras coisas, afirmou que até o momento, a Doutora está  apta a exercer sua função de médica no Hospital pois já foi julgada e punida, como foi publicado em um comunicado à imprensa.Confira:http://santana.dev/index.php/itauna-e-regiao/6608-caso-ginecologista-hospital-emite-nota-a-imprensa

Muitas famílias que foram atendidas por Maria Aparecida, entraram em contato com a 96,9 para fazer reclamações e denúncias a respeito do atendimento às parturientes. Uma das mães, Karine Siqueira Souza , mãe do menino João Miguel, que nasceu no dia 04 de janeiro deste ano, pelas mãos da profissional, e desde então está em internado estado grave no CTI Neonatal do Hospital de Formiga.

Segundo a jovem itaunense, que ainda não formalizou a denúncia contra a médica, ela teve que alugar uma residência em Formiga para conseguir acompanhar de perto o estado de saúde do bebê. Ela afirmou que chegou ao Hospital Manoel Gonçalves às13h, mas seu parto só aconteceu às 17h, por causa da demora, ela teria perdido todo o líquido da bolsa e a criança teria ficado com falta de oxigenação no cérebro.

Foto Kanine grávida:

karine souza bebe cti formiga

 

 

 

 

Confira a entrevista com o Diretor Clínico do Hospital Manoel Gonçalves:

Veja também