Hábito de acelerar áudios e vídeos causa impacto na saúde mental

21/09/2023 | Centro-Oeste

 

Psicólogos e pesquisadores pontuam que esse recente hábito pode prejudicar o cérebro – Foto JC

 

 

Um dos grandes focos da plataforma WhatsApp em suas últimas atualizações têm sido a eficiência no uso. Recentemente, um exemplo de atualização foi a possibilidade de edição de mensagens encaminhadas. Em 2021, o aplicativo introduziu a capacidade de acelerar áudios.

 

Porém, psicólogos e pesquisadores pontuam que esse recente hábito pode prejudicar o cérebro na retenção das informações. Em conversa com a Psicóloga Dayane Alexandre, ela explica que isso pode estar afetando a capacidade das pessoas de se concentrarem e também reter conteúdos das plataformas:

 

 

 

Uma pesquisa do Conselho Nacional de Secretários de Saúde aponta que 31,6% dos jovens, entre 18 e 24 anos, já receberam diagnóstico de ansiedade. Dayane Alexandre afirma que é preciso desacelerar para que o entendimento do conteúdo não se torne superficial:

 

 

Especialistas ainda alertam para os sinais que indicam efeitos do uso excessivo da internet e seus recursos, como a aceleração da velocidade. Entre eles o uso de aplicativos e redes sociais por muito tempo, sensação de angústia ao identificar que a bateria do celular está acabando ou sem acesso à internet e retomada do bem-estar somente quando está conectado.

 

Psicóloga Dayane Alexandre explica que isso pode estar afetando a capacidade das pessoas – Foto JC

 

 

 

 

Veja também