Homem que agrediu cachorro em Divinópolis confessa crime

22/01/2019 | Destaque, Itaúna, Polícia, Uncategorized

Jornalismo Santana FM

Um vídeo de um homem agredindo um cachorro na cidade de Divinópolis, viralizou nas redes sociais e causou muita indignação. Nesta segunda-feira, 21, Carlos Adriano, de 26 anos, se apresentou na Polícia Civil para prestar depoimento, assim como seu amigo que gravou as imagens.

No vídeo, Carlos aparece dando pauladas no animal amarrado em uma árvore.Não satisfeito, ele pega o cão e joga no rio e dá outra paulada na cabeça dele. O animal desaparece nas águas e parece ter sido arrastado pela correnteza.

O crime ocorreu, segundo o delegado regional, Leonardo Pio, há cerca de seis meses. Um inquérito foi instaurado para investigar o caso que e reconhecido como maus tratos a animais com agravante de morte.

Segundo informações do delegado, tanto o agressor quanto o autor das imagens, que é amigo dele, de 27 anos, confessaram o crime. Do lado de fora da delegacia, manifestantes com cartazes pintaram o rosto de preto e pediam justiça.

Ambos saíram da Delegacia indiciados pela prática de maus tratos, com o resultado de morte. A previsão é de que até sexta-feira (25) o inquérito policial seja remetido à Justiça para a apreciação do Ministério Público. Se o agressor for condenado, a pena, segundo a legislação é de um ano, podendo ser aumentada de um sexto a um terço, de acordo com o artigo 32 da lei federal 9.605/1998.

O suposto agressor por telefone negou a autoria do crime. Mais tarde, o rapaz divulgou outro vídeo pedindo desculpas pela atitude descrita por ele como uma “brincadeira de mau gosto”.

A mãe do rapaz, que preferiu não se identificar e afirmou que o filho agrediu o cão por ele ter invadido a criação de galinhas dele, que custam cerca de R$ 4 mil cada uma. Disse ainda que o filho está arrependido e a família está sendo ameaçada.

O delegado Leonardo Pio disse que o envolvido tem várias passagens, uma delas, por participação em rinha de galo. Ele também tem passagens por lesão corporal, ameaça e crimes previstos na lei Maria da Penha.

Com informações do G1

Veja também