Justiça condena empresa a indenizar Itaunense após queimaduras

3/11/2023 | Centro-Oeste, Itaúna

O caso foi  divulgado nesta quinta-feira – Foto Rosana Magri/ TJMG

 

 

Uma mulher, que não teve a idade divulgada, será indenizada em R$ 4 mil por danos morais após ter sofrido queimaduras de 2º e 3º graus nas axilas ao usar um desodorante.

 

O caso foi registrado em Itaúna, e divulgado nesta quinta-feira,02/11,pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

 

De acordo com o órgão, a mulher contou que após aplicar o desodorante, sofreu os ferimentos e precisou, inclusive, passar por uma intervenção cirúrgica.

 

A defesa da empresa argumentou que não ficou comprovado que as lesões foram por causa das queimaduras. No entanto, o juiz Fausto de Castro ressaltou que a consumidora fez prova documental junto ao Instituto Médico Legal (IML), o que já era suficiente para provar o dano sofrido.

 

O magistrado ainda destacou que “o fabricante do produto responde objetivamente pela segurança deste, ou seja, pelos eventuais defeitos que porventura sejam constatados, independentemente da existência de culpa”.

 

 

 

 

Veja também