MG: Doses da Pfizer terão intervalo de dois meses

2/09/2021 | Minas Gerais

“Toda vacina que for dada em setembro (Pfizer ou Astrazeneca, terá intervalo de dois meses – Foto: Divulgação/Pfizer

 

 

O secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti, informou que o intervalo de aplicação de doses Pfizer em adolescentes no Estado será de dois meses.

 

A informação foi passada em primeira mão em entrevista ao quadro Café com Política, da rádio Super 91,7 FM, na manhã desta quinta-feira (2). “Toda vacina que for dada em setembro (Pfizer ou Astrazeneca, para outros grupos) terá intervalo de dois meses. Há uma expectativa, mais pra frente, que esse intervalo da Pfizer reduza ainda mais”, informou.

 

Anteriormente, pessoas vacinadas com Pfizer esperavam três meses para tomar a dose complementar, seguindo recomendações do Ministério da Saúde. No entanto, a pasta recentemente, diante de uma chegada maior do imunizante, revisou as orientações.

 

O secretário, durante a entrevista, voltou a dizer que a estimativa é que sejam vacinados cerca de 1, 7 milhão de adolescentes em Minas Gerais. Só em Belo Horizonte, são cerca de 210 mil, segundo informações da prefeitura.

 

Baccheretti também ressaltou que os adolescentes já começam a ser vacinados semana que vem no Estado, com as sobras de doses anteriormente enviadas a outros grupos aos municípios. Ele voltou a frisar que o objetivo é vacinar todos os adultos de Minas Gerais até 15 de setembro, e todos os adolescentes até o fim deste mês. Dessa forma, estima-se que a imunidade de rebanho será atingida no Estado em outubro.

 

Por O Tempo

 

 

Importância da vacina

 

Nenhuma vacina oferece proteção de 100% contra doenças, mas todas reduzem o risco de infecção, hospitalização e morte, principalmente depois da segunda dose.

 

É importante lembrar que vacinas funcionam, mas não são infalíveis. Ainda assim, apesar de a probabilidade de infecção após a vacina ser pequena, quanto mais a doença estiver circulando, maior é o risco de o imunizante falhar. Por isso a necessidade de vacinar o maior número de pessoas possíveis o quanto antes.

Veja também