Minas tem recorde de 51 mortes por Covid-19 confirmadas em 24 h

24/06/2020 | Minas Gerais

Com 31,3 mil infectados, Minas Gerais bateu recorde de mortes confirmadas em 24 horas – Foto: Mauro Pimentel/AFP

 

O Estado de Minas Gerais aproxima-se a cada dia do pico da pandemia de coronavírus – estimado para acontecer em 14 de julho – com um aumento constante na quantidade de infectados e mortes causadas pela doença.

O número de mortes pela COVID-19 saltou de 720 para 771 nas últimas 24 horas em Minas. Foram registradas 51 mortes no período de 24 horas, maior recorde desde o início do anúncio da primeira morte em 16 de março.

De acordo com o boletim epidemiológico, divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde nesta quarta (24), os casos confirmados são 31.343. Do total de 51 mortes registradas no balanço, foram seis em Teófilo Otoni, seis em Uberlândia e oito em Belo Horizonte.

A capital atingiu a marca de 104 mortes e 4.668 casos confirmados. Em Governador Valadares, o número de mortes passou de 24 para 30 em 24 horas. A cidade confirmou 688 casos. Uberlândia tem 63 mortes pela COVID-19 e 2.990 casos confirmados.

BH registra 14,89% de todos os casos confirmados no Estado. A maior parte dos diagnósticos positivos (85,11) está no interior, o que aponta a capilarização da doença, que atinge 646 municípios mineiros. As mortes foram confirmadas em 199 deles.

 

Cenário caótico

O cenário está se tornando caótico com a ameaça inerente do esgotamento de leitos de UTI da rede pública, estimado para acontecer logo nesta quinta-feira (25). Em algumas regiões do Estado, como no Vale do Aço e no Triângulo Mineiro, a situação é principalmente alarmante. Na primeira não há mais leitos disponíveis, e na segunda a ocupação total não deverá tardar acontecer.

Uberlândia, uma das principais cidades do Triângulo, concentra o segundo maior número de casos da Covid-19 em Minas Gerais, são 2.990 e 63 óbitos causados pelo coronavírus. A ocupação dos leitos da cidade, segundo o próprio município, está em 97%. Em Ipatinga, no Vale do Aço, são 1.109 infectados e 31 mortes pela doença. Não há mais leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) disponíveis na cidade que já vivia ameaçada pelo esgotamento desde 29 de maio.

O alerta também está aceso em Belo Horizonte que, nesta quarta-feira, ultrapassou a marca de 100 mortes provocadas pela infecção – são 104. As mortes na cidade aconteceram principalmente nas regiões Leste, Nordeste e Noroeste. A capital mineira contabiliza 4.668 moradores infectados pelo coronavírus e a prefeitura não descarta nos próximos dias decretar lockdown, a medida mais rígida do isolamento social.

situação dos hospitais públicos também preocupa: a taxa de ocupação atual é recorde, 83% dos leitos de UTI destinados a tratamento de pacientes com Covid-19 estão lotados. Setenta e três profissionais que atuam em centros de saúde, UPAs e no SAMU testaram positivo para coronavírus.

Do Uai / O Tempo

Veja também