Mortes por febre maculosa mais que dobram em Minas

30/09/2023 | Minas Gerais

Foto arquivo Marketing Unoeste

 

Mais uma morte por febre maculosa foi confirmada em Minas. A vítima é um homem de 37 anos, morador de Juiz de Fora, na Zona da Mata. Esse é o 13º óbito provocado pela doença neste ano. O número já representa mais que o dobro do que foi registrado em todo o ano passado.

 

As informações são da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). O levantamento da pasta também indica aumento do total de casos da greve enfermidade, transmitida pela picada do carrapato-estrela infectado. Até 25 de setembro, 40 pessoas ficaram doentes. Em 2022 foram 27 casos.

 

Quem fica doente precisa de um tratamento que envolve o uso de um antibiótico específico. Em casos graves, pode ser necessária a internação. A falta de tratamento ou a demora podem agravar o quadro clínico.

 

Os sintomas podem surgir de 2 a 14 dias após a picada do carrapato. Veja os principais:

  • Febre
  • Dor de cabeça
  • Dor no corpo
  • Vômito
  • Diarreia
  • Mal-estar

 

Além disso, com a evolução da doença é comum o aparecimento de manchas vermelhas nos pulsos e tornozelos, que não coçam, mas que podem aumentar em direção às palmas das mãos, braços ou solas dos pés.

 

Embora seja o sinal clínico mais importante, as manchas vermelhas podem estar ausentes, o que pode dificultar e/ou retardar o diagnóstico e o tratamento, determinando uma maior letalidade.

 

A febre maculosa é uma doença febril aguda, que pode se manifestar com formas leves e atípicas, até formas graves, com elevada taxa de letalidade. Segundo a SES, entre 2018 a 2022 a taxa de letalidade média da doença foi de aproximadamente 33%.

 

Embora os casos possam ocorrer durante todo o ano, a febre maculosa é uma doença sazonal. A maior frequência é no período de seca, especialmente entre abril e outubro.

 

Por O Tempo

Veja também