Motorista desaparecida foi agredida com telhas e esfaqueada

5/10/2023 | Polícia

Sheilla Angelis de Almeida; foto de arquivo – Foto Facebook/Reprodução

 

 

A Polícia Civil deu detalhes nesta quarta-feira 4/10, das investigações do caso da motorista de Divinópolis, Sheilla Angelis de Almeida, desparecida desde o dia 9 de setembro.

 

Segundo o delegado Wesley Castro, o suspeito Rafael Monteiro de Sena, preso junto com a namorada, Letícia Joice de Oliveira, confessou durante depoimento que matou a motorista.

 

A motorista foi vítima de latrocínio. Conforme o delegado, Sheilla foi agredida, estrangulada e ainda esfaqueada nas costas por Rafael.

 

“Ele tentou desmaiá-la com um golpe de asfixia, mas não conseguiu. Ele viu que no solo havia pedaços de telhas e bateu na cabeça dela. Ainda que sangrando, ela reagiu. Então ele volta no carro dela, pega uma corda e com o uso dela tentou enforcá-la, momento que ela desfaleceu. Ele corta a corda, e usa uma das partes para amarrar os punhos dela, com o outro pedaço ele amarra os braços dela ao corpo. Depois a colocou no porta-malas do próprio carro e desferiu quatro facadas nas costas dela”, disse o delegado.

 

Com relação ao corpo de Sheilla, a polícia explicou que aguarda o exame antropológicos para comprovar se o corpo encontrado em uma estrada vicinal de Marilândia, distrito de Itapecerica, é mesmo dela, porém tudo indica que seja ela.

 

Além do resultado dos exames, o delegado disse que os exames irão mostrar se a causa da morte foi o estrangulamento ou as facadas que a motorista sofreu.

 

Crime premeditado

 

 

Polícia Civil detalha investigação do caso da motorista Sheilla Angelis – Foto reprodução PC

 

 

O delegado contou como o suspeito fez para atrair Sheilla até o local onde ela foi morta. Segundo Wesley, no dia do crime Rafael chegou a solicitar o serviço da motorista horas antes de cometer o crime.

 

“Ao meio-dia, o investigado ligou diversas vezes acionando o aplicativo tentando uma corrida, quando quem aceitou foi a Sheilla, ele realizou corrida. A princípio essa corrida tinha como objetivo estudar a vítima, como ela trabalhava, a eventual forma de abordagem dela para cometer o crime”.

 

Após o termino do trajeto, Rafael então teria planejado chamar Sheilla novamente e usou um celular de outra pessoa para não deixar suspeitas que ligasse a ele.

 

“Por volta das 18h30 o suspeito estava na Praça do Santuário, onde procurou um adolescente e pediu o telefone dele emprestado para ligar com Sheilla, solicitando uma nova corrida, inclusive informando que seria o mesmo rapaz que havia feito a corrida ao meio-dia, com objetivo de ter a confiança dela, e utilizando telefone de terceiro para apagar qualquer registro que ligasse a ele”, afirma o delegado.

 

Ordem cronológica do desaparecimento

 

9 de setembro: Sheilla sumiu por volta das 18h, após fazer uma corrida no Bairro Campina Verde, com um veículo Fiat/Argo branco.

 

10 de setembro: O carro dela passa por Juiz de Fora. Foi registrada uma compra com o cartão de Sheilla em uma loja de conveniência em São João Del Rei, por volta das 00:30, e outra compra em uma cidade no estado do Rio de Janeiro.

 

12 de setembro: O delegado Flávio Tadeu Destro disse que o inquérito está em regime de prioridade e não descarta nenhuma linha de investigação. Ele também pediu que a população repasse qualquer informação relevante à polícia.

 

13 de setembro: Marina Almeida, prima de Sheilla, falou da angústia que ela e a família têm vivenciado nos últimos dias. “Estão sendo dias angustiantes. Quanto mais o tempo passa, mais a angústia aperta”, contou.

 

15 de setembro: Familiares, amigos e colegas de trabalhos fizeram carreatas em Divinópolis como forma de cobrar respostas sobre o caso.

 

25 de setembro: Familiares e amigos realizaram uma nova manifestação como forma de cobrar respostas sobre o caso. O ato aconteceu em frente à Delegacia de Polícia Civil.

 

27 de setembro: Familiares reconheceram que o tênis encontrado próximo a um corpo em Marilândia, distrito de Itapecerica, era da motorista. No entanto, a confirmação da identificação do corpo será feita por meio de exame de DNA.

 

1º de outubro: Um casal foi preso no Rio de Janeiro suspeito do desaparecimento da motorista. Os dois estavam no carro de Sheilla.

 

 

 

Casal suspeito de envolvimento deve ser levado para Divinópolis

 

 

Preso casal suspeito de envolvimento no desaparecimento de Sheilla

 

 

*Com informações do G1 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Veja também