Nos bastidores, Cid diz que testemunhou propostas de golpe

4/05/2023 | Brasil

Cid adota a estratégia de blindar o ex-chefe também no caso das joias – Foto Adriano Machado /Reuters

 

 

Preso em operação nesta quarta-feira (3), o tenente-coronel Mauro Cid testemunhou propostas de golpe após o então presidente Jair Bolsonaro (PL) ter perdido as eleições para Lula, apurou o blog.

 

Segundo relatos de Cid nos bastidores, colhidos pelo blog, aliados de Bolsonaro procuraram o presidente para tentar reverter o resultado das eleições com propostas de viradas de mesa.

 

Um deles é um ex-ministro de Bolsonaro, relatou Cid a interlocutores. O outro é o ex-deputado federal Daniel Silveira, já citado por Marcos do Val.

 

No relato de Cid, havia pressões a Bolsonaro para que ele “virasse o jogo”, deturpando o artigo 142 da Constituição e, até, que encampasse um golpe para prender ministros do STF, como Alexandre de Moraes. A partir desse roteiro, Bolsonaro convocaria novas eleições e ordenaria voto impresso. No relato do fiel escudeiro de Bolsonaro, o ex-presidente apenas ouvia as propostas de seus aliados.

 

Cid adota a estratégia de blindar o ex-chefe também no caso das joias: ele tentou tirar do então presidente a responsabilidade sobre a tentativa do governo de levar para o acervo pessoal as peças avaliadas em R$ 16,5 milhões recebidas da Arábia Saudita.

 

Por Por Andréia Sadi / Blog do G1 

 

 

Veja também