Número de crianças alfabetizadas no Brasil volta a crescer

28/05/2024 | Brasil

 

Todos os estados, sem exceção, melhoraram os índices de 2021 para 2023 – Foto Rivaldo Gomes/Folhapress

 

 

Pouco mais da metade das crianças brasileiras são alfabetizadas no 2° ano do ensino fundamental. No ano passado, apenas 56% desses alunos alcançaram essa meta, de acordo com o Ministério da Educação. Percentual bem próximo a 2019, antes da pandemia, quando 55% das crianças nessa fase escolar estavam alfabetizadas.

 

É o que mostra o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) feito a cada dois anos. Em 2021, já na pandemia, o percentual de crianças alfabetizadas no 2° ano do ensino fundamental caiu para 36%.

 

Os dados foram divulgados nesta terça-feira (28), no Primeiro Relatório de Resultados do Indicador Criança Alfabetizada. De acordo com o MEC, a meta foi definida para o ano passado.

 

O ministro da Educação, Camilo Santana, explica que houve uma recuperação, mas ainda está longe do ideal.

 

A organização Todos pela Educação avalia o resultado como uma “importante evolução”, já esperada com o retorno às aulas presenciais. É o que diz a coordenadora de Políticas Educacionais da entidade, Natália Fregonesi.

 

O ministro Camilo Santana chama a atenção para a desigualdade social. Segundo ele, as crianças menos alfabetizadas são negras, como aponta o censo escolar de 2019.

 

Por causa disso, o ministro anunciou uma portaria do MEC para financiar assistência e formação de professores dos seguintes grupos de educação escolar: especial inclusiva; bilíngue de surdos; do campo; indígena e quilombola.

 

Todos os estados, sem exceção, melhoraram os índices de 2021 para 2023. Os destaques ficam com o Ceará, que já alcançou em 2023, 85% da alfabetização infantil na idade certa, que é entre 7 e 8 anos. Em seguida está o Paraná, com 73% por cento; e Espírito Santo, com 68%.

 

Sergipe, Rio Grande do Norte e Bahia, estão abaixo dos 40% de crianças alfabetizadas na idade adequada.

 

O governo federal criou metas que vão aumentando ao longo dos anos: para 2024, quer que 60% dos estudantes estejam alfabetizados no 2º ano do ensino fundamental. Para o ano que vem, 64%. O objetivo é chegar a 2030 com 80% de alunos alfabetizados, meta já alcançada pelo Ceará.

 

 

Veja também