OMS classifica o adoçante como provável causador de câncer

16/07/2023 | Brasil, Mundo

O aspartame é um dos adoçantes mais usados na indústria de bebidas e alimentos – Foto UnsplashUnsplash

 

 

A Organização Mundial da saúde classificou o adoçante aspartame como um “provável” causador de câncer, mas afirmou que o consumo da substância é seguro, desde que respeitado um limite diário.

 

O aspartame é um dos adoçantes mais usados na indústria de bebidas e alimentos, sobretudo naqueles declarados de baixa caloria. E foi alvo de análise de dois grupos dentro da OMS.

 

A Agência Internacional de Pesquisa sobre o câncer concluiu que o aspartame é um “possível” carcinógeno. A chefe da agência, May Schubauer-Berigan, disse que a decisão tem como base evidências limitadas, para apenas um tipo de câncer de fígado. E que trata-se mais de um apelo à comunidade científica para fazer mais estudos.

 

Já o comitê conjunto sobre aditivos alimentares considerou que não há evidências suficientes de que o aspartame cause dano à saúde. E manteve o limite de consumo diário de até 40 miligramas por quilo de peso corporal.

 

Para um adulto que pese 70 kg, por exemplo, seria algo como 14 latas de refrigerante diet. O chefe de nutrição da OMS, Francesco Branca, explicou que a recomendação é moderar tanto o consumo de açúcar quanto de adoçantes. E que, na dúvida entre um refrigerante normal e um diet, devemos sempre considerar uma terceira opção, que é beber água.

 

 Trata-se mais de um apelo à comunidade científica para fazer mais estudos – Foto Joédson Alves/Agência Brasil

 

Por Rádio Agência Nacional 

Veja também