Prefeitos de Cláudio e Carmo do Cajuru dizem que não foram comunicados

27/10/2022 | Centro-Oeste

 

O processo está em andamento, mas foi anunciado pelo presidente do PSB-MG – Foto José Cruz/

 

 

Os prefeitos de Carmo do Cajuru, Edson Vilela, e de Cláudio, Reginaldo Freitas, afirmaram, nesta quinta-feira (27), que ainda não receberam nenhum comunicado oficial do processo de expulsão deles do Partido Socialista Brasileiro (PSB).

 

A sigla de Minas Gerais, que manifestou apoio à candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência, informou na quarta-feira que irá expulsar os dois prefeitos por terem declarado apoio ao candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL).

 

O processo está em andamento, mas foi anunciado pelo presidente do PSB-MG, deputado Vilson da Fetaemg, na quarta-feira (26). Reginaldo Freitas se manifestou sobre a decisão e disse que está tranquilo em relação ao apoio a Bolsonaro.

 

‘Super tranquilo’

 

Em nota, o prefeito de Cláudio, Reginaldo Freitas disse que soube da manifestação do partido por meio da imprensa.

 

“Estou super tranquilo quanto a minha decisão de apoiar o presidente Jair Bolsonaro em sua reeleição. Estamos em um país democrático e, entre minha cidade e o meu partido, minha decisão sempre será pelo bem de todos os claudieses. O que precisamos neste momento é de Deus, família, pátria e liberdade”, afirmou Freitas.

 

Decisão do PSB

 

Em nota, o partido afirmou que compõe a Coligação Brasil da Esperança e apoia a candidatura de Lula (PT) à presidência e de Geraldo Alckmin, filiado ao PSB, a vice. E iniciativa dos chefes dos Executivos municipais afronta o partido.

 

“No atual momento político de ameaça à democracia e às instituições, não se pode admitir em nenhuma hipótese o apoio à candidatura oponente, encabeçada pelo atual presidente da República, por parte de qualquer mandatário do PSB-MG, prefeito, vice-prefeito, vereador e deputados federal/ estadual e ainda de dirigentes partidários”, diz o texto.

 

Segundo o presidente do PSB-MG, deputado Vilson da Fetaemg, o partido está levantando provas que atestem o apoio dos políticos a Bolsonaro, como vídeos e fotos, para a abertura dos processos de expulsão.

 

“O partido apoia Lula. Nosso estatuto é claro. Quem comete infidelidade partidária, a punição é expulsão do partido, e é o que nós vamos fazer”, afirmou.

 

Segundo o secretário-geral do PSB-MG, João Marcos Grossi, entre os prefeitos do PSB-MG que declararam apoio a Bolsonaro e serão notificados sobre a expulsão, estão Imaculada, de Manhuaçu, Reginaldo de Freitas, de Cláudio, e Edson Vilela, de Carmo do Cajuru.

 

Por G1 

 

PSB de Minas anuncia expulsão de prefeitos que declararam apoio a Bolsonaro

 

 

 

Veja também