NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 19 de maio de 2021

Imunizantes chegaram a Divinópolis nesta terça-feira 19/01 –  Foto: Marcela Mesquita/G1

 

 

O caminhão com as primeiras doses da vacina contra a Covid-19 chegou a Divinópolis por volta das 11h07 desta terça-feira (19). De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), a imunização deve começar ainda nesta terça, seguindo os critérios definidos pelo Ministério da Saúde.

O carregamento com mais de 4 mil imunizantes saiu de Belo Horizonte com destino à Superintendência Regional de Saúde (SRS), com sede administrativa em Divinópolis. A SRS será responsável por gerenciar a distribuição dos imunizantes aos 54 municípios da região macrooeste.

 

Encontro entre secretários de saúde define doses para cada município

Após a chegada dos primeiros lotes de vacinas à Minas Gerais, membros da área da Saúde no estado já se mobilizam para começar a vacinação em todo o território mineiro. Nesta terça-feira 19/01, secretários e diretores municipais vão se reunir em Divinópolis, na Superintendência Regional de Saúde para estipular quantidade de doses e insumos que serão destinadas aos 54 municípios atendidos pela repartição.

 

 

Plano Municipal de Contingência para vacinação contra a Covid-19

 

Como já divulgado, os primeiros grupos a serem vacinados serão divididos em quatro grupos: o primeiro, com trabalhadores da saúde, pessoas com mais de 60 anos ou mais institucionalizadas, além de indígenas; o segundo, com pessoas entre 60 e 74 anos; o terceiro, indivíduos com comorbidades e maiores chances de agravamento; o quarto, com professores, membros das forças de segurança e salvamento, funcionários e população do sistema prisional. Em alguns casos serão cobrados documentos/atestados que comprovem vinculação e/ou necessidade da vacina.

 

Dados da Secretaria Municipal de Saúde mostram que, se somados, estes grupos representam cerca de 20.275 pessoas a serem imunizadas nesta primeira fase da campanha (Pessoas maiores de 60 anos: 12.260; Trabalhadores da Saúde: 2.290; Indivíduos com comorbidades: 4.160; Professores: 960; Membros das forças de segurança e salvamento: 290; Funcionários e população do sistema prisional: 315).

 

O cronograma de atividades será dividido em três fases, sendo Pré-Campanha (preparação de toda a rede de frios e unidades de saúde), Campanha (vacinação e monitoramento) e Pós-Campanha (consolidação de resultados e avaliações), além de acompanhamentos, atualizações, definições de estratégias, dentre outros procedimentos de praxe.

 

 

 

Vacinas contra o coronavírus chegam a Minas Gerais

 

Avião com vacinas chegam em BH – Foto: Reprodução/TV Globo

 

De acordo com o Governo de Minas, os imunizantes vieram de São Paulo em uma aeronave que pousou no aeroporto de Confins, por volta das 21h desta segunda (18). Ocorreu um ato simbólico no aeroporto com a vacinação de cinco profissionais de saúde do estado.

Das mais de 577 mil doses da Coronavac destinados ao Estado, 60 mil vão ficar para à capital mineira. A vacina CoronaVac é produzida pelo Instituto Butantan, em parceria com a chinesa Sinovac. A distribuição foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) neste domingo (17).

 

 

Campanha nacional

O início da campanha estava previsto para acontecer simultaneamente em todo o Brasil na quarta-feira (20), mas o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, autorizou que os estados adiantem a imunização e comecem a vacinar a partir das 17h desta segunda-feira.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou no domingo (17), por unanimidade, o uso emergencial das vacinas Coronavac e da Universidade de Oxford contra a Covid-19. Momentos depois, o governo de São Paulo aplicou a primeira vacina da Coronavac.

Ao todo, são quase 6 milhões de doses da Coronavac em todo o país. 4,6 milhões serão enviadas pelo governo federal aos estados brasileiros, e outras 1.357.640 serão distribuídas pelo estado de São Paulo.

 

 

Plano de vacinação

O governo informou que os seguintes grupos serão vacinados até o fim do 1º semestre de 2021:

 

Primeira fase

– Trabalhadores da saúde;
– Idosos a partir dos 75 anos de idade;
– Pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência, como asilos e instituições psiquiátricas;
População indígena.

 

Segunda fase

– Pessoas de 60 a 74 anos.

 

Terceira fase

– Pessoas com comorbidades, que possuem doenças renais crônicas, cardiovasculares, entre outras.

 

Santana FM com o G1