Projeto que cria auxílio gás estadual avança na Assembleia de Minas

7/05/2022 | Minas Gerais

O projeto prevê o repasse mensal do valor do gás de cozinha de 13 kg para famílias de baixa renda no estado – Foto Cristiane Mattos/O TEMPO

 

Com mais de 2,3 milhões de pessoas na extrema pobreza em Minas e os impactos cada vez maiores da inflação na compra de insumos básicos, um projeto de lei que cria o Auxílio Social do Gás em Minas Gerais avança na Assembleia. O texto, de autoria da deputada Beatriz Cerqueira (PT), prevê o repasse mensal do valor do gás de cozinha de 13 kg para famílias de baixa renda no estado.

 

A proposta foi aprovada pela Comissão do Trabalho, da Previdência e da Assistência Social e, antes de ser apreciada em primeiro turno no plenário, segue para a Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária. Após mais um reajuste definido pela Petrobras, o gás de cozinha pode custar até R$ 130 na região metropolitana de Belo Horizonte, o que corresponde a mais de 10% do salário mínimo.

 

“Em razão da alta nos preços do gás, as famílias em situação de pobreza têm tido enorme dificuldade para colocar a comida na mesa, sendo cada dia mais comum a utilização de lenha e outros insumos para fazer a preparação das refeições”, justificou o projeto.

Ação emergencial

Após mudanças nas comissões, o auxílio gás será incluído na Política Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável. Com isso, o subsídio para a aquisição do insumo estará entre as ações emergenciais do governo para grupos que vivem com insegurança alimentar.

 

“Há famílias que estão tendo que escolher entre o alimento e o gás, o que é inconcebível. Voltar a esse estado de coisas é nada menos que uma catástrofe civilizatória, um constrangimento existencial. Frente a essa triste realidade, o parlamento mineiro não pode ficar inerte diante da tragédia humana que se apresenta”, acrescentou o texto.

 

O governo federal também repassa a 5,47 milhões de famílias de todo o país o auxílio gás. Porém, o valor corresponde a metade do preço do insumo e é repassado a cada dois meses. A primeira parcela, em janeiro, foi de R$ 52. O benefício é pago pela Caixa e segue o mesmo calendário do Auxílio Brasil.

 

Por O Tempo

Veja também