Rafael Cabral decide nos pênaltis, e Cruzeiro elimina o Remo

12/05/2022 | Esportes, Minas Gerais

Rafael Cabral defendeu quatro cobranças na disputa por pênaltis – Foto Divulgação/Cruzeiro

 

 

O Cruzeiro está classificado às oitavas de final da Copa do Brasil. Nesta quinta-feira (12), a Raposa venceu o Remo por 1 a 0 no tempo normal, no estádio Independência, em Belo Horizonte, pelo jogo de volta da 3ª fase da competição mata-mata, e levou a decisão da vaga para os pênaltis. Com participação decisiva de Rafael Cabral, ganhou por 5 a 4.

 

Para avançar de etapa, a Raposa precisou reverter à vantagem que pertencia ao clube azulino. No primeiro encontro entre as duas equipes, no estádio Baenão, em Belém, em 19 de abril, o adversário paraense largou na frente ao vencer por 2 a 1.

 

Com o avanço às oitavas, o clube mineiro também assegurou uma premiação de R$ 3 milhões. O início da próxima fase está previamente marcado para os dias 22 e 23 de junho. O Cruzeiro conhecerá o adversário via sorteio, ainda sem data definida.

 

Agora, o Cruzeiro vira a chave e volta suas atenções para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. No próximo domingo (15), o time celeste mede forças com o Náutico, em jogo marcado para as 16h, no estádio dos Aflitos, no Recife, em Pernambuco.

 

O jogo

 

As duas equipes iniciaram a partida com estratégias muito bem definidas. Precisando reverter o resultado negativo do jogo de ida, o Cruzeiro se lançou ao ataque desde o primeiro minuto e dominou as principais ações ofensivas. O Remo, por sua vez, conseguiu suportar a pressão, mas ofereceu pouco perigo à meta celeste.

 

A Raposa teve chances de curta e média distância. O time orientado por Paulo Pezzolano arriscou duas vezes com muito perigo ao gol do goleiro Vinícius, mas todas por cima da meta. A melhor delas foi aos 31 minutos, com o zagueiro Lucas Oliveira, que acertou o travessão.

 

Já o Remo preferiu continuar retraído na defesa. A tentativa mais perigosa de ataque foi em um lance de desatenção de Rafael Cabral, que quase se complicou. Aos 41′, ele deu um susto na torcida do Cruzeiro.

 

O arqueiro dominou a bola dentro da área, mas deixou ela escapar em direção a Brenner. Rapidamente, Cabral correu e deu carrinho para afastar antes de chegar no atacante do Remo.

 

O Cruzeiro continuou com a mesma proposta de jogo na volta para o segundo tempo. Para manter o ritmo ofensivo intenso, Pezzolano substituiu Geovane por Daniel Júnior e Luvannor por Rodolfo. Com isso, o time melhorou e quase abriu o placar em bela finalização de Daniel, aos 12′.

 

Aos 30 minutos, toda a insistência do Cruzeiro foi recompensada. Livre dentro da área, o centroavante Edu aproveitou o cabeceio de Rafael Silva em direção ao gol e estufou as redes do Remo: 1 a 0.

 

Depois do gol marcado, o Cruzeiro continuou pressionando para resolver a classificação ainda no tempo normal, mas não conseguiu ampliar. Então, a vaga às oitavas foi para os pênaltis.

 

Penalidades máximas

 

O Cruzeiro iniciou com erro a série decisiva. Edu chutou no canto esquerdo, e Vinícius defendeu (0 a 0). Na cobrança seguinte, Marlon também desperdiçou para o Remo, Rafael Cabral catou (0 a 0). Já Eduardo Brock acertou uma bomba e colocou a Raposa em vantagem (1 a 0). Bruno Alves igualou o marcador para o time paraense (1 a 1).

 

Com batida de segurança no meio do gol,Rodolfo voltou a colocar o Cruzeiro em vantagem (2 a 1). No entanto, Vanílson deixou tudo igual (2 a 2). Em mais uma cobrança bem feita, Daniel Júnior ampliou para os mineiros (3 a 2). Na quarta cobrança do Remo, Leonan parou em Cabral (3 a 2).

 

Na quinta cobrança da Raposa, o estreante Rafael Silva desperdiçou (3 a 2). Paulinho Caruá deixou tudo empatado no último chute da série de cobranças (3 a 3).

 

Na abertura das alternadas, Zé Ivaldo chutou para fora (3 a 3). Coube a Lailson fechar a série, mas ele parou em Rafael Cabral (3 a 3). Lucas Oliveira colocou o Cruzeiro novamente em vantagem (4 a 3). Aderson Uchôa guardou no ângulo para o Remo (4 a 4).

 

Com categoria, Rafael Santos cobrou na bochecha da rede (5 a 4). Na cobrança do Remo, Everton Sena parou em Rafael Cabral, o nome do jogo (5 a 4).

 

Por Uai 

 

 

Veja também