Reajuste é negado e tarifa será mantida em Divinópolis

29/12/2022 | Centro-Oeste

Decisão foi anunciada nesta quinta-feira (29) pela Prefeitura – Foto Mariana Gonçalves/G1

 

 

A tarifa do transporte coletivo em Divinópolis deverá se manter congelada em 2023, a decisão foi anunciada no fim da tarde desta quinta-feira 29/12, pelo prefeito Gleidson Azevedo (PSC).

 

A proposta de reajuste foi apresentada na segunda 26/12, pelo Conselho Municipal de Trânsito (Comutran).

 

Diante da decisão, a tarifa deverá ser mantida em R$ 4,15 para quem paga no dinheiro e R$ 3,65 para quem usa o cartão DiviPass. A decisão foi formalizada por documento, através do gabinete do prefeito e destinada à Secretaria Municipal de Trânsito, Segurança Pública e Mobilidade Urbana (Settrans).

 

“Devemos lembrar que o transporte público é um serviço de caráter essencial, ou seja, deve servir à toda população e, na atual conjuntura econômica, elevar o valor da tarifa significa inviabilizar a utilização do serviço por dezenas de milhares de usuários, que são pessoas de baixa renda”, justificou o prefeito.

 

Os valores estão sem reajuste desde janeiro de 2020, quando o prefeito decidiu pelo congelamento da tarifa após não entrar em acordo com a empresa responsável pelo serviço de ônibus coletivo na cidade.

 

Entenda a proposta

 

De acordo com o presidente do Comutran, Lucas Estevam, o estudo tarifário examinou todos os índices que afetam diretamente no custo final da tarifa, como preços dos insumos, dados do sistema, como quilometragem, quantidade de passageiros, projeção de reajuste salarial dos condutores de ônibus, dentre outros, e se comprovem por notas fiscais.

 

Este estudo é realizado anualmente visando trazer a sugestão de valor a ser repassado ao usuário do transporte coletivo.

 

Diante das informações e análise da planilha do estudo tarifário, o valor avaliado foi de R$ 4,51. Oito membros do Comutran votaram a favor, um contra e dois abstiveram.

 

Conforme ainda o Comutran, o congelamento da tarifa tem pressionado os custos de operação do sistema de transportes na cidade, obrigando a gestão municipal a aplicar mais verba de subsídio para manter os ônibus funcionando.

 

Segundo a Secretaria de Trânsito, Transporte e Segurança Pública (Settrans), em 2022 o valor do complemento tarifário que a gestão municipal já destinou ao Consórcio TransOeste para que o serviço continuasse sem aumento de passagens chegou a R$ 5,6 milhões. O Governo Federal, como auxílio para a gratuidade do transporte público, destinou mais de R$ 3 milhões de reais.

 

Por G1 

 

Passagem pode aumentar em Divinópolis, veja os valores de Itaúna e Pará de Minas

 

 

Veja também