NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 25 de junho de 2021

O pronunciamento do governo do Estado ocorreu pouco depois de uma reunião do Comitê Extraordinário Covid-19 -Foto Reprodução Internet

 

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), anunciou, em entrevista coletiva nesta quinta-feira (15), que a região metropolitana de Belo Horizonte e outras do Estado vão retornar a Onda Vermelha após semanas na Onda Roxa, mais restritiva do plano Minas Consciente, de combate à Covid-19.

 

“Nós obtivemos melhorias de indicadores e tudo aponta que continuaremos a ter, porque a pandemia sempre tem um efeito retardado. De acordo com decisões técnicas, portanto, estamos com várias regiões avançando da Onda Roxa para a Onda Vermelha, dentre elas a Região Metropolitana de Belo Horizonte”, explicou Zema. Ele também citou a cidade de Curvelo, a microrregião de Manhuaçu, e a totalidade das regiões Triângulo Norte e Triângulo Sul, além de Jequitinhonha, Norte, Sudeste e Sul.

A Macrorregião de Divinópolis – na qual Itaúna está inserida – continua  na Onda Roxa.

 

Dessa forma, a maior parte de Minas Gerais, agora, estará nessa fase. “Ou seja, 60, 70% do Estado estará na Onda Vermelha. Uma evolução muito grande”, pontuou Zema.

 

“A Onda Roxa continua sendo uma alternativa do Estado. Estamos muito atentos aos indicadores, essas regiões que estão progredindo para a Onda Vermelha precisam manter as medidas de isolamento. Estamos melhorando, mas precisamos da sensibilização de todos para não passar mais por esse estresse”, disse o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti.

 

A Onda Vermelha é optativa aos municípios e têm medidas menos rígidas, permitindo, por exemplo, o funcionamento de atividades não essenciais com limite do uso da capacidade. Belo Horizonte nunca aderiu ao programa do governo estadual quando a adoção não é obrigatória.

 

“Não estamos falando de situação confortável. Não há o que comemorar, e sim o que pensar para não voltar para a onda roxa”, disse o governador.

 

Por O Tempo