Usiminas inaugura projeto em Itatiaiuçu para encerrar uso de barragens

5/12/2021 | Centro-Oeste

Investimento permitirá à empresa encerrar o ciclo de utilização de barragens – Foto: Divulgação/ Usiminas

 

 

Com investimentos de cerca de R$ 235 milhões, a Usiminas inaugurou nesta quarta-feira (1º/12) o novo sistema de disposição de rejeitos filtrados, em Itatiaiuçu. O projeto ajudará a companhia a encerrar o ciclo de uso das barragens para a disposição dos rejeitos gerados durante a mineração.

 

A planta de filtragem é totalmente conectada ao processo de beneficiamento do minério, que inclui etapas como o peneiramento (separação e rejeito por granulometria), a jigagem (separação por densidade), magnetismo e flotação (ajuste do minério).

 

Segundo a empresa, o valor investido também engloba a preparação da área que receberá os rejeitos, formando uma pilha, e o transporte do material entre os dois pontos. Foram gerados, durante o pico da obra, cerca de 600 postos de trabalho. Outros 120 profissionais atuarão diretamente na operação do sistema.

 

A planta permitirá ainda à empresa elevar o nível de recirculação da água, reduzindo a necessidade de captação em rios ou poços. Em 2018, a Usiminas protocolou o pedido de licenciamento ambiental do sistema de disposição de rejeitos filtrados na Superintendência Regional de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Supram) do governo do estado.

 

O presidente da Usiminas, Sergio Leite, diz que o projeto é fundamental do ponto de vista da sustentabilidade.

 

“É um investimento de extrema importância. Com a implantação desse processo damos um passo importante na Agenda ESG (sigla em inglês para Ambiental, Social e Governança) e reafirmamos o nosso compromisso com a segurança e a sustentabilidade das operações. Dessa forma, seguimos comprometidos com nossas metas ambientais e sociais, com avanços importantes nos legados que estão sendo construídos pela companhia”.

 

O diretor-presidente da Mineração Usiminas, Carlos Rezzonico, conta que o projeto Dry Stacking é resultado de um trabalho iniciado ainda em 2016, quando a empresa começou os estudos para alinhar as operações às novas tecnologias. “Buscamos padrões de excelência nacionais e internacionais, visando tornar nossos processos ainda mais seguros e sustentáveis. É muito gratificante entregar essa planta, cumprindo mais um compromisso da nossa companhia com a sociedade”, afirma Rezzonico.

 

Por Estado de Minas

 

 

 

Veja também