NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 16 de junho de 2021

Urna funeraria

 

 

 

 

 

 

 

Por maioria na tarde dessa terça feira (7) foi mantido o veto do Prefeito Osmando Pereira ao projeto de Lei apresentado pelo Vereador Mauricio Aguiar, que abria ainda neste ano a permissão para a exploração do serviço funerário por mais de uma empresa no município de Itaúna, que hoje e a quase 40 anos é explorado com exclusividade pela Funerária Nossa Senhora Aparecida.

Ao total foram 6 votos contra o veto do prefeito (Hudson Bernardes, Gleissinho, Mauricio Aguiar, Marcinho Hakuna, Adãozinho do SAAE e Vereadora Palmira) e 9 votos a favor do veto (Pastor Gil, Da Lua, Leio Bala, Helio Machado, Nilzon Borges, Giordane, Edinho de santanense, Françis Saldanha e Lucinho) o Vereador Joel Marcio não compareceu a reunião desta terça por estar doente e o Presidente da Camara Alex Athur não vota na sessão. Segundo apurou a Santana FM, os vereadores que votaram contra entenderam que a possibilidade do Executivo Municipal entrar com uma ADIN (Ação direta de inconstitucionalidade) contra a câmara causaria um constrangimento político. Também já estava pronto por ação do Vereador Mauricio Aguiar uma indicação que seria enviada ao executivo, apontando a necessidade de se ampliar a oferta de serviços funerários no município em razão de seu índice populacional sugerindo uma empresa funerária a cada 40 mil habitantes. Na verdade está é uma maneira de não se afrontar a autoridade do Executivo que tem as prerrogativas para dirimir sobre a exploração do serviço funerário na cidade. Também nos bastidores e de forma não oficial há um acordo ou supõem-se que haja um, onde o Prefeito estando próximo do final do período legal de da atual concessão, enviaria ao Legislativo projeto de Lei modificando a atual legislação municipal sobre a exploração do serviço funerário em Itaúna.

O empresário Ricardo Medeiros que montou a funerária Medeiros na Rua Silva Jardim e que a 11 meses está de portas fechadas por não ter conseguido o Alvará de funcionamento enviou nota para Santana FM ,externando seu descontentamento com a situação , na nota ele diz “ O veto do Sr. Osmando, é uma atitude lamentável e até mesmo vergonhosa dos senhores vereadores, novamente o EXECUTIVO ordena o LEGISLATIVO, Vereadores sem opinião própria defendendo interesses próprios, lamento pela comunidade Itaunense que apoiou o projeto, conseguimos cinco mil assinaturas no abaixo assinado, milhares de seguidores nas redes sociais, mas lhe aviso, a luta não está ganha pelo EXECUTIVO, vamos buscar nosso direito no JUDICIARIO.

Resta agora esperar para ver como terminará esta história , se a Justiça dará ganho de causa ao empresário que pretende acioná-la, ou se o Executivo ira se manifestar favoravelmente a adoção da lei da oferta e da procura a partir de Fevereiro de 2015 permitindo a entrada de uma nova empresa para oferecer ao munícipe o direito à livre escolha de produtos e serviços.